A Verdade Por Trás de barbie.avi

ATENÇÃO!

Este texto é uma explicação de outro. Para entender melhor sugiro ler primeiro a creepypasta “barbie.avi” clicando aqui.


barbie-avi

A história foi publicada pela primeira vez no famoso fórum 4chan em 14 de julho de 2009. Um site francês chamado Underfoule também publicou a história sob o título “Severine Barbie” no dia 28 de julho de 2009.

É dito que o vídeo mencionado na história se encontra dividido em 6 partes, porém apenas as partes 1, 2 e 4 foram publicadas. As outras partes parecem nunca terem sido postadas.

Logo pediram fotos e foram mostradas fotos da suposta casa abandonada e uma imagem do vídeo que na verdade não se encontra em nenhuma das 3 partes disponíveis. Sobre as fotos logo descobriram que foram tiradas do Google.

barbie-abandoned-house-1

barbie-abandoned-house-2

barbie-avi-1

 

Em 9 de agosto de 2009 os vídeos foram postados no YouTube pelo canal xenopasta.

Como os vídeos não foram postados no mesmo dia em que a creepypasta acreditava-se que os vídeos haviam sido produzidos durante esse espaço de tempo (de mais ou menos um mês) na tentativa de comprovar a “veracidade” da história.

Nos primeiros segundos do primeiro vídeo aparece um aviso bem rápido informando que o vídeo é licenciado apenas para exibição de forma privada e que os demais direitos são reservados. Isso pode justificar a dificuldade em encontrar a versão original do mesmo.

screenshot41

As demais partes disponíveis são a 2 e a 4:

Pela qualidade dos vídeos é possível dizer que eles foram editados com zoom e possivelmente o áudio foi alterado para dificultar a verificação da autenticidade do vídeo. É praticamente impossível decifrar o que ela diz em qualquer parte dos três vídeos.

Na segunda parte parece que ela fala sobre como sua vida é difícil. Em inglês, ela diz: “Então, minha família morava a 10 quadras de [inaudível] e eu costumava sair para passear, mas eu ficava com vergonha. Mas quando eu tinha alguém comigo… bem, olhavam para mim como se houvesse algo de errado comigo como na vez em que eu fui à praia. Percebi que eles paravam e saiam. Um dia as pessoas correram e me falaram ‘sai daqui'”.

Apenas na parte 4 é possível ver abaixo dos ombros da mulher e que ela tem o braço direito amputado. Além disso aparece a sigla BIID que em inglês significa Body Integrity Identity Disorder  e em português seria TIIC – Transtorno de Identidade da Integridade Corporal. É uma doença rara psicopatológica em que o indivíduo só se sente completo quando estiver faltando alguma parte de seu corpo.

captura-de-tela-43

Isso implica que no vídeo a “Barbie” pode estar sendo observada por causa desse transtorno. Alguns dizem que no vídeo ela está conversando com um médico que está acompanhando seu caso e que ela estaria falando sobre a sua “recuperação mental”.

Outros dizem se trata de um vídeo snuff ou que é parte de um filme francês chamado “Albert Souffre” e que seria a atriz Josephine Fresson (o que não faz sentido).

Também supostos experts em leitura labial afirmam que ela fala sobre seu vício em metanfetamina e de como ela perdeu o braço por causa do vício.

Ainda na parte 4 há um comentário feito a aproximadamente um ano muito interessante de um usuário chamado Paulo Leonel em espanhol:

“Não direi da parte de quem venho, mas o vídeo é realmente surpreendente. A mulher do vídeo (que até agora não se sabe quem é) tem um sotaque claramente norteamericano, parecido com o de Chicago ou Detroit. Ela repete os mesmo modismos de voz e expressão usando “So (Então)” e “I used to (Eu costumava)” como se estivesse dando um depoimento ou fazendo uma recapitulação de fatos que a levaram a ser gravada. A roupa me incomoda. É como uma túnica branca, pode ser que seja o escritório de um psiquiatra ou psicólogo, não acredito que seja algum filme pornô já que deveríamos ver o corpo inteiro em algum dos vídeos, mas só se mostra o rosto, o pescoço, o braço esquerdo e o cotoco do braço direito. Não parece ser uma mulher drogada, mas parece que tem alguma forma de atraso por conta da sua forma ‘inocente’ de falar. O cotoco só pode ser visto em algumas cenas e não na totalidade do vídeo e não se explora sua amputação, mas sim a história da mulher. Também digo que o vídeo mostra a mulher e não a amputação do membro devido a importância da história dela, por isso a pessoa que a entrevista deixa tempo para poder expressar-se, isso somado a legenda que aparece, creio, na parte 2 que diz “(BIID)”, ou seja, o acrônimo em inglês de Transtorno de identidade e integridade corporal. Por fim, o corte na parte 4, onde se dá um zoom e o vídeo pula e corta, se vê numa fração de tempo a cor marrom na parede e se escuta uma espécie de grito ao fundo que diz “Oh yeah” de maneira sugestiva, como se a pessoa que diz isso (não sei se é esta mulher ou outra) estivesse em estado de euforia. Enfim, é um vídeo raro, como apareceu em um computador desconhecido não se sabe se foi editado, mas creio que o material tenha algo importante já que foi o único que apareceu nesse computador.”

Muitas outras teorias e hipóteses estão espalhadas pelos fóruns desde 2009, mas tudo nos leva a crer que o vídeo não tem nada a ver com a barbie.avi. Um russo disse: Ainda assim fica a pergunta: De onde veio o vídeo? Esse é o mistério que muitas pessoas tentam descobrir.

No meio do ano passado foi divulgada a suposta parte 3 e graças a ela muitas informações vieram à tona. O vídeo tem duração de 7:50 e a qualidade é superior se comparado com os demais já que não há aqueles ruídos que tornam os vídeos praticamente inaudíveis. O vídeo já havia sido publicado num site chinês chamado Youku em 23 de fevereiro de 2012 sob o título Tammy. Segue o link abaixo:

http://v.youku.com/v_show/id_XMzU1NzYzMjQw.html

No final do vídeo há uma data: 4.10.89. Possivelmente 10 de abril de 1989. O que pode muito bem ser justificado como verdadeiro pela baixa qualidade de imagem. Em um comentário um russo afirmou:

“O nome da mulher é Barbara Debir. O vídeo foi filmado num centro de reabilitação no Canadá em 1989. Além disso há outros 3 vídeos similares. E sim, todas as pessoas realmente sobrem do desejo de se desfazerem de seus membros.”

Esse comentário foi feito logo quando o primeiro vídeo foi divulgado. E, aparentemente, a informação bate com a data que apareceu na suposta parte 3. Será que realmente ela se chama Barbara? Ou seria Tammy?

Um grupo de russos está procurando mais informações para desvendar de vez esse mistério no mínimo intrigante. Em novembro de 2016 eles lançaram uma discussão no fórum russo 2ch. E com a ajuda de outros eles conseguiram juntar algumas informações.

O vídeo completo já foi disponibilizado na internet em julho de 2009 (seria coincidência?) e estava hospedado no Megaupload que foi encerrado pelo FBI em janeiro de 2012. O site, que é destinado aos devotees (pessoas que se sentem atraídas por pessoas com algum tipo de deficiência), ainda está no ar. O título do vídeo é “Tammy RAE”. (RAE significa que Tammy tem o braço direito amputado acima do cotovelo em inglês)

Esse grupo de russos procurou muito na internet e descobriram que em 15 de junho de 2013 o vídeo foi publicado num site devotee chamado Amputeep (é necessário registro e não vale a pena fazer). Porém, a última vez que o autor da postagem foi em 28 de janeiro de 2016. Por isso não foi possível aos russos entrarem em contato com ele.

Pelo que se pode observar dessa postagem o vídeo original não tem boa qualidade. O autor diz que por causa do equipamento o áudio é praticamente incompreensível. Mas isso não impediu eles de conversarem com outras pessoas do site.

Através dos devotees foi descoberto que Tammy pertencia a uma agência de modelos deficientes. Inicialmente eles acreditaram que fosse a AMPIX, mas isso foi descartado já que as modelos dessa agência não tinha um nome e sim um número. Mesmo assim eles contataram o criador da AMPIX para esclarecer.

E, de fato, ela não era uma modelo da AMPIX, mas o seu criador, Mike Rounds, tem uma cópia original do VHS. Ele disse que na verdade seu nome é Sharon e que na época do vídeo ela devia ter mais ou menos 22 anos. Ele também fala que o vídeo fala sobre quem é ela e sua história. Ele disse também que a entrevista foi conduzida por Jama Bennett Reed da Ascot (outra agência). Ele ainda conta que quando ela tinha por volta de 16-17 anos ela estava trabalhando com uma máquina de lavar antiga que não tinha tanta segurança. Ela estava mexendo em um lençol enquanto a máquina estava ligada (as máquinas antigas não tinham trava de segurança enquanto a tampa estava aberta). A máquina prendeu o braço dela no lençol e literalmente torceu o braço dela. Mike ainda acrescentou que na época do vídeo ela havia se recuperado emocionalmente mas era uma pessoa emocionalmente amarga. Ela não era tão brilhante e seu jeito não era do tipo que teria uma carreira profissional na área quando o acidente ocorreu. No momento da entrevista, ela não tinha habilidades negociáveis, falava como uma adolescente mal educada e estava amargurada só por ser capaz de encontrar um emprego como acompanhante com um salário mínimo. Ele ainda diz que acha que ela não se envolveu no meio devotee e que simplesmente saiu de vista. Apesar de dar esses detalhes, Mike Rounds se recusou a dar detalhes ou mesmo ceder uma cópia do VHS.

Quando Jama foi contatada ela disse que não conhecia Tammy. Os russos então descobriram outra agência chamada Fascination, mas a fundadora morreu em 2008.

A última informação que eles conseguiram é um número que possivelmente é de Barbie/Tammy/Sharon em Chicago. Mas eles não têm boa fluência no inglês para ligar e tentar resolver este mistério de uma vez por todas. Por isso eles criaram um tópico no 4chan para tentar conseguir ajuda. Será que um dia descobriremos a verdade?

Tenha bons sonhos! 😉

O dançarino da meia-noite

Descanse em paz, Rogger…
★ 24 de janeiro de 1987 † 30 de dezembro de 2016


clown

Você já teve aquele sentimento de que alguma coisa está errada? Não me refiro durante o dia, mas sim à noite. Me refiro àquele sentimento repentino de pavor que faz com que você se levante. Eu tive um recentemente que me forçou a levantar às 3 da manhã. Geralmente quando você tem esse sentimento você continua deitado fingindo estar dormindo. Se você tiver mais coragem dá aquela rápida olhada na casa para ver se está tudo bem. Depois de perceber que não há nada você inevitavelmente voltaria para dormir. Eu deveria ter feito isso dessa vez.

Eu devia ter continuado dormindo.

Nessa noite me sentei. Pelo mais longo tempo eu fiquei lá sentado olhando o escuro da minha casa antes mesmo de perceber que eu estava acordado. Então veio o medo, aquele sentimento que te estrangula lentamente, que aperta o peito e dá um nó na garganta. Eu estava sozinho em casa com os olhos atentos e com medo sem nenhum motivo. Eu não ouvia alguém andando no andar de baixo ou os sons assustadores de um cano pingando. Não havia nenhum motivo para eu estar assustado, mas eu estava.

Sem pensar muito eu me levante e fui até a janela. Eu não sei o por quê eu fiz isso. Me escondi de trás da cortina  e fiquei olhando meu quintal sob a luz do luar.

Eu devia ter continuado dormindo.

Havia um palhaço lá fora pulando contente no meu jardim. Ele tinha babados em torno das mangas e do pescoço, calças folgadas e sapatos grandes e frouxos. Seu rosto pintado de branco coberto por um nariz de borracha bem grande era, sem dúvida, a última coisa que eu queria ver às 3 da manhã.

Ele dançava em completo silêncio de um jeito que só um louco ou uma criança entenderia. Seu jeito brincalhão era assustador. Fiquei observando com pavor ele circular o jardim enquanto tentava ignorar o nó aumentando em minha garganta. Ele parava de vez em quando para brincar com minhas ferramentas de jardinagem e cheirar as plantas. Em seguida, com passos de valsa, foi até uma muda de carvalho que eu havia plantado e desapareceu. Meus olhos piscaram. Isso não era possível. Ele andou para trás daquela pequena planta mas não saiu do outro lado. Eu devia ter visto o tempo todo, mas não fiz. Foi como se o palhaço tivesse passado por uma porta escondida na planta.

Eu devia ter continuado dormindo.

Eu tinha a esperança de que tudo aquilo fosse algum tipo de sonho acordado. Fingir que nada havia acontecido era mais fácil do que a verdade. O palhaço voltou. Noite após noite eu observei ele dançar em volta do meu quintal e no fim de cada noite ele desapareceu da mesma maneira. Uma noite ele desapareceu por trás de uma enxada para aparecer segundos depois atrás do cortado de grama.

Hoje à noite eu encontrei ele cavando um buraco no meio do quintal. Eu nunca vi ele fazendo algo do tipo antes e imediatamente pensei que aquele palhaço estava cavando minha cova. O buraco ficava cada vez mais profundo até que cobria até a cabeça. Quando ele terminou ele ficou na borda do buraco sem se mexer e do nada sacudiu a cabeça. Meu coração bateu tão forte que eu podia sentir o gosto de cobre na boca. Ele se abaixou e arrancou uma flor. Ele colocou a flor entre seus dentes e plantou a pá com firmeza no chão. Fingiu esticar seus suspensórios e começou a admirar seu trabalho como um fazendeiro. Meu coração estava acelerado, mas eu estava feliz por não ter me visto. Como se ele lesse minha mente se virou e ficou olhando para mim. Nunca pensei que eu rezaria por ataque cardíaco. Ele cuspiu a flor e correu em minha direção com seus pés balançando para os lados. Ele parou poucos metros da minha casa sorrindo para mim com seus dentes amarelados e estragados e apontou para o buraco. Ele começou a acenar para mim me chamando como uma criança querendo mostrar sua pintura de dedo. Paralisado no lugar a única coisa que eu fiz foi furiosamente balançar a cabeça dizendo não.

O sorriso do palhaço caiu e ele coçou a cabeça como se estivesse confuso. Ele andou perto do buraco e apontou para ele de novo. Eu diria para ele ir se ferrar seu pudesse. Ele ficou lá por um momento antes de agir animadamente como se tivesse tido uma ideia incrível. Ele então, dançando valsa, foi até a pá e desapareceu por trás dela. Eu fiquei olhando fixamente esperando ele reaparecer no quintal como antes. Eu rezei em silêncio para que isso acontecesse até ouvir o meu armário abrir.

Eu devia ter continuado dormindo.

 

Tenha bons sonhos e feliz ano novo.

Encontre Emily Sander

Sim, essa é outra história do 4chan. Por mais tranquilo e divertido que o site possa ser algumas coisas loucas acontecem lá. Pessoas têm sido assassinadas e os assassinos postam as informações no 4chan. Por alguma razão. Assim como no caso dessa história.

Tenho que explicar brevemente uma coisa no 4chan primeiro: os postadores lá geralmente brincam de adivinhar o último número de usuário gerado automaticamente (seja lá qual for a quantidade de números que ele tenha). Esse número é diferente para cada tópico para assim manter todo mundo o mais anônimo possível. Se você adivinhar você ganha alguma coisa em troca. Na maioria das vezes você tem o privilégio de pedir ao postador para fazer alguma coisa. Outras vezes, como nesse caso, o postador já oferece alguma coisa e a dará se alguém responder corretamente.

Então, de volta a 2007 esse OP (do inglês Original Poster, postador original) foi ao 4chan e postou isso:

img1

“Se alguém conseguir adivinhar seu próprio número eu direi aonde ela está enterrada.”

 

É claro, as pessoas não acreditaram e elas pensaram que o OP estava apenas trollando então elas continuaram a brincadeira. Mas quando alguém na verdade conseguiu adivinhar seus dois últimos números de usuário corretamente…

Coordenadas de onde Emily Sander estava enterrada segundo o OP

Coordenadas de onde Emily Sander estava enterrada segundo o OP.

 

O OP mandou algumas coordenadas.

Ferramenta de pesquisa geográfico do Yahoo com as coordenadas dadas pelo OP.

Ferramenta de pesquisa geográfica do Yahoo com as coordenadas dadas pelo OP.

 

Nada mais foi visto naquela postagem até esse ponto, mas as pessoas não puderam deixá-la lá esquecida e sem importância e então decidiram buscar notícias sobre aquela área. As coordenadas são mostradas no Google Maps.

Mapa do local aonde a garota estava enterrada.

Mapa do local aonde a garota estava enterrada.

 

E então os sites de notícias locais são vasculhados até que isso é encontrado.

Site de notícias informando que o corpo foi encontrado.

Site de notícias informando que o corpo foi encontrado.

Se você olhar para o mapa e olhar para o indicador que mostra as distâncias no mapa, parece bastante provável que seja verdade.

Todo mundo está na internet, o que significa que psicopatas e assassinos estão também.

Fonte: Frank’s Life

Tenha bons sonhos! 🙂

O Soldado

SC202244

Há uma história dita de um soldado que estava finalmente voltando para casa depois de ter lutado no Vietnam. Ele ligou para seus pais de São Francisco.

“Mãe e pai, estou voltando para casa mas eu tenho um favor para pedir. Tenho um amigo que eu gostaria de trazer para casa.”

“Existe uma coisa que vocês precisam saber”, o filho continuou, “ele foi gravemente ferido na guerra. Ele pisou uma mina terrestre e perdeu um braço e uma perna. Ele não tem mais nenhum lugar para ir e eu queria que ele viesse morar conosco.”

“Sentimos muito por isso, filho. Talvez nós possamos ajudá-lo a encontrar algum lugar para morar.”

“Não, mãe e pai. Eu quero que ele more conosco.”

“Filho”, disse o pai, “você não sabe o que está pedindo. Alguém com uma debilidade dessas poderia ser um fardo terrível para nós. Nós temos nossas próprias vidas e nós não podemos deixar que alguém como ele interfira com nossas vidas. Acho que você deveria vir para casa e esquecer esse cara. Ele vai encontrar um jeito de viver.”

Nesse momento, o filho desligou o telefone. Os pais não ouviram mais nada dele. Alguns dias depois eles receberam uma ligação da polícia de São Francisco. O filho deles havia morrido ao cair de um prédio. A polícia afirmou ter sido um suicídio. Os pais aflitos foram o mais rápido possível para São Francisco e foram para o necrotério da cidade para identificar o corpo de seu filho. Eles o reconheceram, mas para seu horror eles também descobriram algo que eles não sabiam: seu filho tinha apenas um braço e uma perna.

Tenha bons sonhos! 😉

Adeus

Como um ladrão, sem avisar, a morte chega. Sempre quando menos esperamos. Tantos planos. Tantos sonhos. Tantas coisas para fazer! Nunca estamos preparados para compreender. É amarga. É traiçoeira. Para alguns é fonte de alívio. Mas nunca é capaz de nos fazer esquecer dos bons momentos um dia já vividos.

Descanse em paz, Erimar…
★ 7 de setembro de 1991 † 30 de dezembro de 2015


Recentemente a melhor coisa que aconteceu comigo morreu. Minha melhor amiga, Aries. Todo mundo em seu funeral estava feliz porque ela era rica (porém humilde) e deixou grandes coisas para todos que conhecia. Eu ainda era a pessoa mais triste no mundo. Depois de 3 anos comecei a superar as coisas e a irmã de minha amiga me ajudou dizendo coisas como: “Isso é o que ela queria”. Mudei da minha velha casa e lembrei de meu velho computador no porão. Costumava usar ele para conversar com meus amigos. Arrumei ele na nova casa para ver o que havia nele. A coisa estranha era que não havia poeira nele. E ele devia estar lá havia anos.

É aqui que a história que você veio ler começa.

Eu liguei meu computador e percebi que o único programa que tinha ele era o Internet Explorer. Abri ele e fui direto para a sala de bate-papo. Dizia que Aries estava online. Pensei que era algum defeito do meu computador, mas isso me entristeceu. Cliquei na janela da conversa com ela e lá dizia: “Olá, Alex! Eu estava esperando por você…” Dizia que ela estava digitando. Depois de uma hora chegou uma mensagem dizendo: “Você lembra do anel?”

Pensei: “De que anel ela estava falando?” Eu tinha pensado em pedi-la em noivado já que tínhamos muitas coisas em comum e ela estava com essa expectativa, mas eu nunca falei com ela sobre isso. E toda vez que eu achava que era o momento certa para fazer isso eu sempre ficava relutante. Eu não respondi porque sabia que era uma piada. Dizia que ela estava digitando uma mensagem novamente. Eu pensei que demoraria mais uma hora com da última vez. Sai e fui para a casa do meu amigo Derek. Ele sempre saia conosco não importa aonde fôssemos, por isso nos tornamos bons amigos. Ele era a única pessoa que sabia a senha dela.

Toquei a campainha como se eu estivesse jogando Mortal Kombat. Quando ele respondeu, gritei: “O que diabos está acontecendo?” Ele fingiu não saber o que estava acontecendo. Então eu gritei de novo: “Você é um idiota!” Ele apenas riu de mim. Fui no computador dele, mas estava desligado. Ele me perguntou o que havia de errado. Comecei a ficar confuso e apenas sai da casa dele de volta para casa. Não me arrependo de não ter dito o que estava acontecendo. Voltei para o bate-papo e respondi para ela: “Sim, eu lembro.” A mensagem que ela estava escrevendo foi apagada. Depois de 6 minutos apareceu na tela: “Que bom.” Escrevi: “Bem, você quer casar comigo?” Ela respondeu: “Sim. sim! Eu quero!”

Nós tivemos uma boa conversa por horas mas eu sabia que não era ela. Parecia que eu estava num site de namoro. Perguntei para ela: “Quem é você? Ela respondeu: “Aries…”

Eu disse: “Não, quem é realmente você?”

“Você não acredita em mim…” Eu tentei falar com ela mas ela não respondia de volta. Naquele momento mesmo que fosse um fake, eu só queria falar come ela. Demorou seis dias para ela responder: “Adeus, Alex.” Eu digitei bem rápido: “POR FAVOR, NÃO VÁ!!!” Seis dias depois ela disse: “Venha comigo, Alex.” Comecei a soluçar: “EU VOU, QUALQUER COISA POR VOCÊ!” Depois de mais seis dias quando eu cheguei do trabalho recebi outra mensagem: “Obrigado…” Ouvi soluços. Diminui o volume mas nada aconteceu. O som permaneceu o mesmo. Depois viraram fungadas e então finalmente viraram risos de alegria.

Todas as propagandas da página viraram fotos nossos fazendo coisas malucas. Minimizei a janela e vi que meu papel de parede virou uma foto de meus amigos e eu nos abraçando. Eu era a pessoa mais feliz no mundo tudo porque eu não podia deixar o passado. E a imagem foi mudando aos poucos até ela sair do monitor. Ela pegou minha mãe e fiquei sem emoção. Ela me disse que isso era a morte. E agora aqui eu estou. Aqui com você e ela. Presos aqui para sempre.

Então me diga, você lembra da história?

Feliz Ano Novo…

Hinterkaifeck

Hinterkaifeck, uma pequena fazenda situada entre as cidades bavarianas de Ingolstadt e Schrobenhausen (há aproximadamente 70 km ao norte de Munique), foi cena de um dos mais intrigantes e bizarros crimes na história da Alemanha. Na noite de 31 de março de 1922, os seis moradores da fazenda foram assassinados com uma picareta. O assassinato continua sem solução.

Foto da fazenda de Hinterkaifeck.

Foto da fazenda de Hinterkaifeck.

As seis vítimas foram: o fazendeiro Andreas Gruber (63), sua esposa Cäzilia (72), a filha viúva* Viktoria Gabriel (35), a filha de Viktoria, Cäzilia (7), Josef (2) e a empregada Maria Baumgartner (44).

Hinterkaifeck nunca foi o nome oficial do lugar. O nome foi usado pela fazenda, localizada há aproximadamente um quilômetro ao norte da parte principal (outras duas fazendas) de Kaifeck e escondida na floresta (o prefixo Hinter, que significa escondido, faz parte do nome de muitos lugares na Alemanha), que faz parte da cidade de Wangen, que foi incorporada à Waidhofen em 1º de outubro de 1971.

Era aqui que a fazenda era localizada.

Era aqui que a fazenda era localizada (vide seta laranja).

O CRIME

Alguns dias antes do crime, o fazendeiro Andreas Gruber contou aos vizinhos que descobriu pegadas na neve vindas da floresta e que iam até a fazenda, mas sem pegadas de volta. Ele também contou que ouvia passos no sótão e encontrou um jornal desconhecido na fazenda. Além disso, as chaves da casa foram perdidas alguns dias antes da chacina, mas nada disso tinha sido declarado à polícia.

Seis meses antes, a empregada anterior havia deixado o lugar, dizendo que era mal-assombrado. A nova empregada, Maria Baumgartner, chegou ao local no dia 31 de março morrendo algumas horas depois.

O que aconteceu exatamente naquela noite de sexta-feira não pode ser dito com certeza. Acredita-se que o casal de velhos, bem como sua filha Viktoria e sua filha Cäzilia foram todos atraídos um por um ao celeiro onde foram assassinados. Depois disso, o(s) assassino(s) entrou na casa onde matou Josef que estava dormindo em seu berço no quarto da mãe e a empregada, Maria Baumgartner, em sua cama.

Na terça-feira seguinte, 4 de abril, alguns vizinhos foram à fazenda porque nenhum dos moradores haviam sido vistos nos últimos dias, o que era bastante incomum. O carteiro percebeu que a correspondência do sábado anterior ainda estava onde ele deixou. Além disso, a pequena Cäzilia não havia aparecido na escola segunda-feira e nem no sábado.

A INVESTIGAÇÃO

O inspetor Georg Reingruber e seus colegas do Departamento Policial de Munique fizeram imensos esforços investigando os assassinatos. Mais de 100 suspeitos foram interrogados durante os anos seguintes, mas não houve sucesso. O interrogatório mais recente foi em 1986, porém sem resultados. Em 2007 os estudantes da Academia de Polícia de Fürstenfeldbruck investigaram o caso mais uma vez com modernas técnicas de investigação criminal. Eles chegaram à conclusão de que é impossível resolver completamente o crime depois de tanto tempo. Há falta de evidência por causa dos métodos de investigação serem primitivos na época. Além disso, as evidências foram perdidas e os suspeitos morreram. No entanto, os estudantes conseguiram identificar uma pessoa como o principal suspeito. Mas eles não deram o nome da pessoa no relatório por respeito aos parentes ainda vivos.

Até hoje, muitas pessoas que investigam por hobby continuam a investigar o caso.

Primeiramente a polícia suspeitou de ser um assalto, e interrogou vários moradores dos vilarejos circunvizinhos. A teoria de assalto foi, entretanto, abandonada quando uma grande quantia em dinheiro foi encontrada na casa. Acredita-se que o assassino permaneceu na fazendo por alguns dias – alguém alimentou o gado e comeu comida na cozinha. Os vizinhos também viram fumaça vinda da chaminé durante o fim de semana – e alguém qualquer um que estivesse procurando dinheiro teria encontrado.

No dia seguinte, 5 de abril, o médico da corte Dr. Johann Baptist Aumüller realizou as autópsias no celeiro. Foi determinado que uma picareta foi a arma mais provavelmente usada na chacina. Os cadáveres estavam decaptados e os crânios foram enviados à Munique onde foram examinados por clarevidentes, mas sem resultado. A autópsia também mostrou que a jovem Cäzilia permaneceu viva por algumas horas depois do ataque. Deitada na palha, próxima dos corpos de seus avós e de sua mãe, ela arrancou seus cabelos em tufos.

O FUNERAL

As seis vítimas foram enterradas em Waidhofen, onde há um memorial no cemitério. Os crânios nunca retornaram de Munique, depois de haverem sido perdidos durante o caos da Segunda Guerra Mundial. Próximo ao local onde a fazendo estava localizada há agora um santuário.

A fazenda foi demolida no ano seguinte em 1923.

Santuário de Hinterkaifeck

Foto do santuário próximo ao local da antiga fazenda de Hinterkaifeck.

APÊNDICE

O assunto é tão misterioso que chama a atenção de milhares de pessoas. Muito material foi produzido a partir desse estranho caso e seria moroso reunir todo o conteúdo nesse blog, mas vou enumerar alguns:

Há dois filmes com o nome Hinterkaifeck, um por Hans Fegert de 1981 e o outro por Kurt K. Hieber de 1991.

Hinter Kaifeck é filme de suspense misterioso de 2009 feito pela diretora Esther Gronenborn e a produtora Monika Raebel, estrelando Benno Fürmann e Alexandra Maria Lara.

Em 2006, a escritora alemã Andrea Maria Schenkel escreve uma novela entitulada Tannöd onde ela conta a história de Hinterkaifeck usando nomes diferentes para os locais e pessoas envolvidas. Também a novela A Casa Assassinada, escrita pelo escritor francês Pierre Magnan é inspirada no caso. Nessa novela, a vítima mais jovem do massacre sobrevive e retorna à fazenda como um adulto para investigar o crime.

O jornalista de Munique Peter Leuschner escreveu dois livros com os títulos Hinterkaifeck: Der Mordfall e Spuren eines mysteriösen Verbrechens (Hinterkaifeck: o assassinato e Vestígios de um crime misterioso, em português, respectivamente) em 1979 e 1997. O segundo livro é uma extensão do primeiro. Nesse livro Leuschner cita arquivos originais da polícia.

O músico Giles Corey compôs um EP entitulado Hinterkaifeck em 2013. Quer ouvir? Visite o site: Giles Corey – Hinterkaifeck EP.

Ficou curioso? Nesse site há tudo sobre o caso: Der Mordfall Hinterkaifeck. (em alemão, é claro!)

Fonte(s): Wikipédia e o site acima, apesar de eu não saber alemão! 😀

Nota: Um fato curioso: A morte de Karl Gabriel, o marido de Viktoria, que foi reportado como morto nas trincheiras da França em 1914 (Primeira Guerra Mundial), foi posta em dúvida. Seu corpo nunca foi encontrado. Apesar disso, a maioria de seus companheiros soldados alegou ter o visto morrer e seus relatos foram aceitos pela polícia.

Tenha bons sonhos! 😉

 

O Inferno de Tomino

Esta é uma história popular japonesa sobre um poema chamado “O Inferno de Tomino” (トミノの地獄 – lê-se: Tomino no Jigoku). Dizem que você deve apenas lê-lo na mente e nunca em voz alta. Se você ler em voz alta, deve fazê-lo por sua conta e risco. O Inferno de Tomino foi escrito por Goki Yomota (四方田 剛己), mais conhecido como Inuhiko Yomota (四方田 犬彦) num livro chamado “The Heart is Like a Rolling Stone” (心は転がる石のように), e foi incluído na 27ª coleção de poemas de Saizo Yaso (西條 八十) de 1919. Não se sabe ao certo como esse rumor começou, mas há um único aviso: Se você ler esse poema em voz alta, coisas trágicas (凶事) irão acontecer.” Parece uma maldição. Não se deve compará-lo com as comuns histórias “You’ll grow taller” ou “My parents died”. Percebe como é perigoso?

Essa história começou a ficar popular no 2ch, e havia muitas pessoas tirando fotos e fazendo vídeos como prova e postando no 2ch. Havia muitos usuários que diziam que nada acontecia, mas também havia posts nos quais o usuário não voltava para mostrar os resultados. Acho que é mais assustador do que alguém postar que alguém ficou doente ou que alguém morreu. Mas se você ler em voz alta, é melhor ler em japonês do que ler a tradução.


トミノの地獄
Tomino no Jigoku
Tomino’s Hell
O Inferno de Tomino

– – –
西條八十
Saijo Yaso
詩集「砂金」より

– – –
姉は血を吐く、妹(いもと)は火吐く、
ane wa chi wo haku, imoto wa hihaku,
His older sister vomited blood, his younger sister vomited fire,
Sua irmã mais velho vomitou sangue, sua irmã mais nova vomitou fogo,

可愛いトミノは 宝玉(たま)を吐く。
kawaii tomino wa tama wo haku
And the cute Tomino vomited glass beads.
E o doce Tomino vomitou pérolas de vidro.

ひとり地獄に落ちゆくトミノ、
hitori jihoku ni ochiyuku tomino,
Tomino fell into Hell alone,
Tomino caiu no Inferno solitário,

地獄くらやみ花も無き。
jigoku kurayami hana mo naki.
Hell is wrapped in darkness and even the flowers don’t bloom.
O Inferno está coberto em trevas e mesmo as flores não florescem.

鞭で叩くはトミノの姉か、
muchi de tataku wa tomino no aneka,
Is the person with the whip Tomino’s older sister,
Essa pessoa com o chicote é a irmã mais velha de Tomino?

鞭の朱総(しゅぶさ)が 気にかかる。
muchi no shubusa ga ki ni kakaru.
I wonder who the whip’s shubusa(?) is.
Me pergunto de quem é o chicote.

叩けや叩きやれ叩かずとても、
tatake yatataki yare tataka zutotemo,
Hit, hit, without hitting,
Bate, bate, sem bater.

無間地獄はひとつみち。
mugen jigoku wa hitotsu michi.
Familiar Hell’s one road.
A conhecida mão única para o Inferno.

暗い地獄へ案内(あない)をたのむ、
kurai jigoku e anai wo tanomu,
Would you lead him to the dark Hell,
Você levaria-o ao Inferno negro?

金の羊に、鶯に。
kane no hitsu ni, uguisu ni.
To the sheep of gold, to the bush warbler.
À ovelha de ouro, ao rouxinol?

皮の嚢(ふくろ)にやいくらほど入れよ、
kawa no fukuro ni yaikura hodoireyo,
I wonder how much he put into the leather pocket,
Me pergunto o quanto ele colocou dentro da alforja,

無間地獄の旅支度。
mugen jigoku no tabishitaku.
For the preparation of the journey in the familiar Hell.
Para a preparação da jornada ao conhecido Inferno.

春が 来て候(そろ)林に谿(たに)に、
haru ga kitesoru hayashi ni tani ni,
Spring is coming even in the forest and the stream,
A Primavera já está chegando na floresta e no ribeiro.

暗い地獄谷七曲り。
kurai jigoku tanina namagari.
Even in the stream of the dark Hell.
Mesmo no ribeiro do Inferno negro.

籠にや鶯、車にや羊、
kagoni yauguisu, kuruma ni yahitsuji,
The bush warbler in the birdcage, the sheep in the wagon,
O rouxinol na gaiola, a ovelha na carroça,

可愛いトミノの眼にや涙。
kawaii tomino no me niya namida.
Tears in the eyes of cute Tomino.
As lágrimas nos olhos do doce Tomino.

啼けよ、鶯、林の雨に
nakeyo, uguisu, hayashi no ame ni
Cry, bush warbler, toward the raining forest
Choro, rouxinol, em direção da floresta tropical.

妹恋しと 声かぎり。
imouto koishi to koe ga giri.
He shouts that he misses his little sister.
Ele grita que sente falta de sua irmãzinha.

啼けば反響(こだま)が地獄にひびき、
nakeba kodama ga jigoku ni hibiki,
The crying echo reverberates throughout Hell,
O choro ecoa por todo o Inferno.

狐牡丹の花がさく。
kitsunebotan no hana ga saku.
The fox penoy blooms.
A raposa floresce.

地獄七山七谿めぐる、
jigoku nanayama nanatani meguru,
Circling around Hell’s seven mountains and seven streams,
Circulando pelas sete motanhas e ribeiros do Inferno.

可愛いトミノのひとり旅。
kawaii tomino no hitoritabi.
The lonely journey of cute Tomino.
A solitária jornada do doce Tomino.

地獄ござらばもて 来てたもれ、
jigoku gozarabamo de kitetamore,
If they’re in Hell bring them to me,
Se eles estão no Inferno traga-os para mim,

針の御山(おやま)の留針(とめはり)を。
hari no oyama no tomebari wo.
The needle of the graves.
A agulha dos túmulos.

赤い留針だてにはささぬ、
akai tomehari date niwa sasanu,
I won’t pierce with the red needle,
Não vou furar com a agulha vermelha,

可愛いトミノのめじるしに。
kawaii tomino no mejirushini.
In the milestones of little Tomino.
Nos marcos do pequeno Tomino.

Bons sonhos depois de ler em voz alta! 😎