Dead: O ex-vocalista do Mayhem

Per Yngve Ohlin, mais conhecido no meio musical como Dead nasceu em 16 de janeiro de 1969 em Estocolmo, na Suécia. Durante a infância, teve muitas experiências com a morte. Ele sofria de apnéia do sono e era muito difícil acordá-lo. Mais tarde, aos 10 anos, ele teve hemorragia interna, quando seu braço rompeu depois de um acidente enquanto patinava no gelo. Teve de ser levado às pressas para um hospital onde passou um tempo clinicamente morto. Depois dessa experiência de quase-morte, ficou fascinado com a morte e o morrer.

Em 1986, fundou o grupo sueco de death metal Morbid, com o qual gravou uma fita demo, chamada December Moon. Pouco tempo depois, no entanto, decidiu que a banda não estava indo a lugar nenhum e através de Metalion, o editor da revista do Slayer, ele conheceu os membros do Mayhem. Segundo Necrobutcher, ele inicialmente enviou um pequeno pacote com uma fita demo, uma carta e um rato crucificado. Embora Necrobutcher ter perdido o pacote, ele guardou a fita que tinha detalhes de contato com Dead. Em 1988 ele se mudou para a Noruega e se juntou à banda.

No dia 8 de abril de 1991, Dead foi encontrado morto na casa líder da banda, Euronymous, por ele próprio. Ele havia cometido suicídio depois de cortar os próprios pulsos com uma faca atirando contra sua cabeça com uma espingarda. Junto de seu corpo, em meio ao sangue e pedaços cranianos, havia um bilhete que divia “Desculpe pelo sangue”. Tempos depois Varg Vikernes (baixista da banda) admitiu que emprestou a espingarda para ele.

Em entrevistas, colegas músicos muitas vezes descreviam Dead como um cara esquisito e introvertido. O companheiro de banda Hellhammer descreveu Dead como “uma personalidade muito estranha… deprimido, melancólico e obscuro.” Da mesma forma, o guitarrista do Mayhem, Euronymous, afirmou uma vez:

“Eu honestamente acho que Dead é mentalmente insano. De que outra forma você descreveria um cara que não come para sentir dores de fome? Que tipo de pessoa tem uma camiseta com anúncios de funeral?”

O baterista Kjetil Manheim mais tarde preferiu a personalidade de Ohlin do que Marvin, o andróide paranóide.

Segundo o baterista da banda Emperor, Bard “Faust” Eithun:

“Ele (Dead) não era um cara que você poderia conhecer muito bem. Acho que nem mesmo os outros caras do Mayhem não conheciam ele bem. Ele era difícil de se aproximar. Eu vi ele duas semanas antes dele morrer. Eu vi ele talvez umas seis ou oito vezes. Ele tinha muitas idéias estranhas. Lembro que Aarseth (Euronymous) estava falando com ele e disse que ele não tinha nenhum humor. Ele tinha, mas era muito obscuro. Honestamente, não acho que ele estava gostando de viver nesse mundo, o que evidentemente resultou no suicídio.”

Quando Euronymous encontrou o corpo de Dead em sua casa, correu para comprar uma câmera fotogrática e tirou fotos e pôs ela como capa do CD de 1995 “Dawn of the Black Hearts“.

Agora alguns questionamentos. Repare bem na capa do álbum acima. Como a faca ficou por cima da espingarda? Será que Dead realmente cometeu suicídio? Ou será que Euronymous apenas mexeu na cena do crime para tirar uma boa fotografia? Provavelmente nunca saberemos a verdade já que Euronymous morreu em 1993 a facadas por Varg Vikernes.

Varg alega que matou Euronymous em sua própria defesa depois de uma discussão. Ele também alega que foi realmente Euronymous quem matou Dead por causa de sua inveja doentia.

Tenha bons sonhos! ;)

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s